A pureza do sacerdote é um tesouro inestimável, fonte de imensa alegria e grandes frutos pastorais. Apenas um terníssimo amor à Santíssima Virgem Maria ajudará o sacerdote a viver em plenitude de gozo a sua castidade

PurSacrd

Pe. Juan Manuel Rodríguez de la Rosa — Adelante la Fe | Tradução Sensus fidei: Queridos amigos, o sacerdote é o escolhido de Deus, e não um homem que exerce um ofício a mais, pois ele não desempenha funções próprias. O sacerdote, sabendo o que isso significa — que já não é ele — como consagrado deve obediência a Deus às suas promessas de pobreza, castidade e obediência, para tornar mais viva nele a presença do Sacerdócio eterno de Nosso Senhor Jesus Cristo. Nunca será pouco o esforço que o sacerdote realize para cerrar em si todo resquício de homem que nele resta, pois apenas deve desejar e esperar ser conhecido não pelo que ele é, mas pelo que há do Senhor nele.

A mesma palavra sacerdote leva a cruz — sacerdoe — no nome. O sacerdote se deve completa e absolutamente a Jesus Cristo, à sua Divina Pureza, para cada dia poder tocar, no altar sagrado, Seu Divino Corpo com suas mãos puríssimas, ou seja, com sua integridade perfeita de vida, com sua integridade de alma e de corpo. Quanta ajuda presta a santa batina ao sacerdote, que vindo em seu auxílio, recorda-lhe esta integridade de vida, íntegra, como a de uma peça que é o hábito talar.

O sacerdote casto é a soma de conhecer-se como sacerdote e preservar-se integramente para Jesus Cristo; ou seja, Todo para Deus. Perfeitíssima e diviníssima pureza adornou Nosso Senhor até o Calvário, da mesma forma o sacerdote tem de imitá-lo, não é em vão que a mesma palavra leva a cruz — caso.

Estamos diante do sacrário íntimo do sacerdote. Para poder entender a sua pureza ele deve entronizar dentro de si o seu próprio sacrário, aceitando a sua cruz, o seu sacerdócio e a sua castidade. Cruz, sacerdócio e castidade. Este é o tesouro do sacerdote zelosamente guardado no tabernáculo de seu coração. E assim, em cada Santo Sacrifício a identidade com o Sumo e Eterno Sacerdote será a mais plena possível, de modo que o tabernáculo de seu coração funda-se, dilua-se no Tabernáculo do altar. Sendo um só Sacrário, um só Corpo, uma só Oferta, uma só Vítima, um só Sacerdote e um único altar.

O sacerdote casto não tem parte consigo mesmo, somente com Deus. Não faz aliança consigo mesmo, apenas com cada uma das Três Divinas Pessoas.

O sacerdote casto não dirá, Senhor não posso, estou comprometido com esta criatura, dispensai-me, por favor. Dirá à criatura: comprometi-me com Deus, não posso comprometer-me contigo.

O sacerdote casto transita unicamente pelos caminhos de Deus, unido como sarmento à vide da Pureza de Jesus Cristo.

O sacerdote casto abriga em seu coração unicamente o amor a Deus, atraindo não por si mesmo, senão a Deus em si. Procurá-lo-ão não pelo que o sacerdote é, mas pelo que de Deus há nele.

O sacerdote casto já não tem fé em si mesmo, mas somente em Deus; não confia mais em si, mas em Deus; já não repousa em si, somente em Deus.

Quando o sacerdote se afasta da santa pureza de Nosso Senhor Jesus Cristo deve reparar para retornar à sua origem: sacerdote e casto. Inseparáveis sacerdócio e castidade.

A pureza do sacerdote é um tesouro inestimável, fonte de imensa alegria e grandes frutos pastorais. Apenas um terníssimo amor à Santíssima Virgem Maria ajudará o sacerdote a viver em plenitude de gozo a sua castidade. Ninguém como a Imaculada Conceição, que levou em seu seio a Diviníssima Pureza do Redentor, para guiar, instruir e cuidar no caminho da pureza o seu filho sacerdote.

A pureza de Cristo no sacerdote casto é a puríssima e Diviníssima Humanidade de Nosso Senhor no sacerdote; significa a elevação de sua natureza pecadora à sua sobrenatural santidade, para não se pertencer a si mesmo, mas unicamente a Deus.

Ordenai Senhor, o que quereis fazer de mim? Fazei de mim o que quiserdes.

Ave Maria Puríssima.

Padre Juan Manuel Rodriguez de la Rosa.

Nota: Alguns pensarão nos sacerdotes casados orientais, ou nos anglicanos que retornaram à Igreja Católica. A Santa Igreja como Mãe e Mestra, compreende, em ambos os casos, a fraqueza do homem, mas nunca se poderá igualar à beleza e grandeza do celibato sacerdotal.

Publicado originalmente: Adelante la Fe — La pureza de Cristo en el sacerdote casto

A pureza de Cristo no sacerdote casto

Uma ideia sobre “A pureza de Cristo no sacerdote casto

  • 14 de maio de 2016 em 15:41
    Permalink

    Senhor, abençoe nosso amado confessor!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Também

WP-Backgrounds by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann